Sitramico | Auxílio emergencial é prorrogado por mais dois meses
SITRAMICO - RJ
Sindicato dos Trabalhadores no Comercio de Minérios
e Derivados de Petróleo do Estado do Rio de Janeiro.
Centro 21-3231-2700  Caxias 21-2671-1423  WhatsApp 21-97564-6104 / 99457-9131  Email:faleconosco@sitramico-rj.org.br
sexta-feira, 03/07/2020 - 11:32

Auxílio emergencial é prorrogado por mais dois meses

Apesar da extensão do auxílio, parlamentares de oposição defendem que o programa continue até dezembro

Por Redação RBA

Publicado 01/07/2020 – 09h54EBC

Decreto do governo federal acrescenta ainda que o prazo de cadastro para receber o auxílio é até esta quinta-feira (2). A Caixa Econômica Federal ainda não divulgou o calendário de pagamentos

O auxílio emergencial de R$ 600 foi prorrogado por mais dois meses, para trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família. O decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado na edição desta quarta-feira (1º), do Diário Oficial da União.

Entretanto, o governo pagará o auxílio de forma parcelada. O ministro da Economia, Paulo Guedes, diz que serão quatro parcelas que totalizam o R$ 1.200 ao todo. A divisão será feita assim: R$ 500 no início do mês; R$ 100 no fim do mês; R$ 300 no início do mês; R$ 300 no fim do mês.


Apesar da extensão do auxílio, parlamentares de oposição afirmam que o pagamento dos R$ 600 até setembro não ajuda os brasileiros e defendem que o governo federal continue com o programa até dezembro.

“Tem gente que ainda nem recebeu a primeira parcela do auxílio emergencial, e Jair Bolsonaro anunciando que vai pagar por mais 2 meses apenas. Como se a crise fosse acabar num passe de mágica até setembro. É um deboche. Nossa proposta é pagar os R$ 600 pelo menos até dezembro”, escreveu o deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ).

Rejeição de Bolsonaro

A reprovação de Jair Bolsonaro, na crise do novo coronavírus, é elevada até entre os brasileiros que recebem o auxílio emergencial, de acordo com pesquisa Datafolha.

De acordo com os dados da pesquisa, entre os que pediram e já receberam pelo menos uma parcela do auxílio financeiro, 49% consideram o trabalho do presidente ruim ou péssimo.

No projeto inicial sobre o auxílio, o governo defendeu o valor de R$ 200, mas foi derrotado por pressão da oposição, após negociações com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *